Outros Trabalhos

Drumming

de Ricardo B.Marques

Novembro, 2016

 

Fragmento geológico performativo.

Só o som sobreviverá, o zumbido áspero das placas terrestres e a mais ínfima harmonia tubular. Em DRUMMING procura-se amplificar o movimento ctónico que subjaz ao que é dos domínios da consciência.

“M’ amour, m’amour

What do I love and where are you?

That I lost my center fighting the world

The dreams clash and are shattered

And that I tried to make a paradiso terrestre.” — Ezra Pound

 

Direcção: Ricardo B. Marques

Interpretação: Silvana Ivaldi

Desenho de Luz e Som: Tiago Correia

Teatro Sá da Bandeira, Santarém – Portugal