Ricardo B. Marques

Ricardo B. Marques nasceu em Lisboa, Portugal.

Formou-se em Dramaturgia pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e estudou Cinema na Universidade da Beira Interior. Em 2010, foi seleccionado para o apoio a novos encenadores da Fundação Calouste Gulbenkian com o espectáculo, “Antes de descobrir a garganta”. Em 2012, co-dirigiu e escreveu “Primeira Valsa”, que estreou em Castelo Branco, Portugal, e foi posteriormente apresentado em São Paulo, Brasil. No mesmo ano apresentou “Traumatheatre”. Em 2013 teve o seu último texto, “Boogaloo”, em uma leitura encenada no festival Satyrianas, São Paulo. Trabalhou durante esse ano como avaliador de textos teatrais da selecção de 2014 para o SESI-British Council e também como artista convidado na SP Escola de Teatro nas áreas de Dramaturgia e Direcção. Forma o ateliê AzulPetróleo com o qual já teve vídeos em vários festivais de diferentes países, destacando-se: Loop Festival, Barcelona; É tudo Verdade, São Paulo; Curta Cinema, Rio de Janeiro. Com AzulPetróleo esteve também em residência no Museu da Imagem e do Som em São Paulo onde o trabalho de vídeo realizado, “Nomos”, ficou aí em exposição, sendo também seleccionado para o Mostra Caixa de Novos Artistas, projecto que está em itinerância por todo o Brasil entre 2016/17. Escreveu e co-dirigiu, com Óscar Silva, “Mastodonte”, que estreou no Teatro Nacional D. Maria II no ciclo “Recém-Nascidos” em Outubro de 2016. Em Novembro do mesmo ano criou, com Silvana Ivaldi, “Drumming” no Teatro Sá da Bandeira em Santarém. Em Dezembro de 2017 criou com Silvana Ivaldi “Justificação”, para o mesmo teatro.